Abramet estimula publicitários e dramaturgos a indicarem o correto uso do cinto de segurança em anúncios e programas de TV

Levar a mensagem da segurança no trânsito em novelas, séries, filmes, minisséries e nas propagandas veiculadas na tevê e nos meios digitais em todo o Brasil. Com esse objetivo, a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) enviou nesta semana ofício à Associação Brasileira de Agências de Publicidade (Abap), à Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) e principais emissoras de TV do País, pedindo a emissão de um alerta às suas associadas para que exibam, nos anúncios publicitários e programas televisionados, imagens de motoristas e passageiros fazendo o uso correto do cinto de segurança, especialmente no banco de trás dos veículos.

A mobilização pelo uso do cinto é uma das iniciativas da Abramet no âmbito da Semana Nacional de Trânsito, ação educativa do governo federal que será realizada entre início no dia 18 e 25 de setembro. Com o mote “Perceba o risco. Proteja a vida” a ação pretende fomentar uma mudança de comportamento no trânsito para preservar a vida e reduzir os índices de acidentes com vítimas fatais e portadores de sequelas.

A expectativa é que tanto a publicidade quanto a dramaturgia possam agregar essa mensagem, exibindo pessoas usando o cinto de segurança em todos os assentos dos meios de transporte. “No Brasil, o brasileiro usa o equipamento de segurança no banco dianteiro, mas relaxa o cuidado quando acomodado no banco traseiro dos veículos”, diz Antonio Meira Júnior, presidente da Abramet. Segundo ele, a entidade enxerga esse hábito com preocupação e quer contribuir para uma mudança de mentalidade. “O cinto salva vidas e pode reduzir, significativamente, o risco de morte”.

MAIS SEGURANÇA – O documento direcionado à Abap e Abert – assinado também pelo diretor científico da ABRAMET, Flávio Adura – esclarece que o uso do cinto de segurança em todos os assentos é decisivo para proteger a vida dos ocupantes do veículo. Segundo a entidade, não usar o cinto de segurança no banco de trás, por exemplo, aumenta em cinco vezes o risco de morte do ocupante do banco da frente.

“Tal fato se deve à possibilidade de o ocupante do assento traseiro ser arremessado violentamente contra os ocupantes dos bancos dianteiros, transformando-se em real ameaça à integridade do condutor ou outro ocupante naquelas posições, tendo em vista o grande ganho de massa de um corpo que se desloca em alta velocidade”, explica Adura.

Segundo ele, o cinto de segurança é o principal equipamento de segurança passiva. “Trata-se de um dispositivo relativamente simples, mas que contribui de maneira decisiva para a diminuição das consequências dos acidentes, impedindo, em caso de colisão, que os corpos se choquem contra o volante, painel e para-brisas, ou que os ocupantes sejam projetados para fora do automotor”.

PARCERIA – Ao buscar a parceria com agências de publicidade e emissoras de tevê, a Abramet espera aproveitar sua presença e influência para potencializar a abordagem educativa. “Todos sabemos que o brasileiro adora uma novela, a publicidade e a dramaturgia são importantes formadoras de opinião e comportamento em nossa cultura”, justifica.

Segundo a entidade, o apoio da Abap e Abert serão de grande relevância para a construção de avanços. “Temos memória de outras circunstâncias em que os meios eletrônicos levaram informação relevante e mobilizaram a sociedade brasileira, ajudaram a mudar comportamentos. Queremos mais uma parceria em defesa da vida no trânsito”.

Fonte:https://abramet.com.br/noticias/abramet-estimula-publicitarios-e-dramaturgos-a-indicarem-o-correto-uso-do-cinto-de-seguranca-em-anuncios-e-programas-de-tv/