Prevenção à Covid 19: Abramet lembra da importância de a população seguir orientações das autoridades sanitárias e dos médicos ajudarem na identificação de novos casos

Com a chegada do coronavírus ao Brasil, causador da COVID 19, a Associaçao Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) reforça a necessidade do apoio da população às medidas de prevenção e combate definidas pelo Ministério da Saúde e outras autoridades sanitárias. Além desse engajamento da sociedade, a Abramet alerta aos médicos, inclusive aos seus associados, para que estejam atentos à sua responsabilidade nesse momento, repassando esclarecimentos para evitar o pânico e encaminhando todos os casos suspeitos para diagnóstico e tratamento.

A Abramet considera também fundamental que o Governo – em suas diferentes esferas (municipal, estadual e federal) – ofereça as adequadas condições para que sejam realizadas atividades nos campos da vigilância, prevenção, diagnóstico e tratamento de casos suspeitos e confirmados. Na visão da Associação, isso inclui proporcionar aos médicos e às equipes multidisciplinares as condições para que exerçam suas atividades.

Diante disso, a Abramet considera pertinente a nota pública divulgada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), semana passada, na qual são apresentados uma lista de compromissos esperados de autoridades, médicos e população.

ACESSE AQUI A ÍNTEGRA DA NOTA DO CFM SOBRE O CORONAVÍRUS

“Na nossa avaliação, desse documento constam pontos que preocupam a todos os brasileiros. Para os médicos, há responsabilidades importantes, como agir de modo tempestivo para evitar a disseminação do vírus e apontar eventuais deficiência de infraestrutura no atendimento para que sejam corrigidas a tempo de não causar prejuízos à estratégia montada”, lembrou o presidente da entidade, Antonio Meira Júnior.

Ele também chamou a atenção para outra preocupação citada na nota do CFM: a necessidade de evitar a disseminação de informações falsas (as fakenews). Conforme apontou o presidente, “ao distribuir notícias sem confirmação, mesmo que aparentemente inofensivas, há o risco de comprometer o trabalho de prevenção e combate à Covid 19. Por isso, todos devem veicular apenas informações e orientações de fontes oficiais e confiáveis. Esse é o entendimento dos médicos de tráfego”.