No Fantástico, Abramet orienta motorista como prevenir os riscos do sono e da fadiga ao volante

A Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (ABRAMET) recomenda ao motorista que evite dirigir quando estiver cansado ou com sono: o melhor, esclarece, é descansar antes de pegar o volante, uma vez que cochilar ao volante é uma das situações mais perigosas. A orientação da entidade foi apresentada em reportagem do Fantástico, programa dominical TV Globo, que contou o caso de Francisco Cavalcante, motorista que rolou por uma ribanceira na rodovia MG-190, no Triângulo Mineiro, nos primeiros dias de janeiro. “Quando eu senti, a caminhonete já estava voando”, relatou o motorista. “Eu cochilei”, reconheceu, em matéria exibida no domingo (10).

VEJA A MATÉRIA DO FANTÁSTICO AQUI

O acidente aconteceu quando Francisco voltava para casa. Ao acionar a Polícia, a família informou que ele estava trabalhando sem pausa há vários dias. Na rodovia, não havendo sinais de acidente nem da presença do veículo, a Polícia Militar decidiu usar um drone para ampliar as buscas. O uso da ferramenta permitiu encontrar o veículo, que despencou de uma altura de 25 metros. A reportagem informa que foram dois dias de buscar e 15 pessoas envolvidas no resgate. O motorista se recupera das lesões sofridas no acidente.

“Muitas pessoas acreditam que uma parada, tomar um cafezinho, lavar o rosto, ligar e aumentar o som do carro ou abrir os vidros vai ajudar, mas não é o suficiente para você vencer o sono”, afirmou o dr. Antonio Meira Junior, presidente da Abramet. Ouvido pelo Fantástico, ele acrescentou: “O ideal, se estiver com sono, é não dirigir. Parar em um local seguro e dormir”.

Essa é uma das recomendações da entidade, que mantém em sua rotina o alerta permanente aos motoristas que conduzem os veículos pelas estradas do País. Em 2017, em parceria com a Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), a Abramet e a Associação Brasileira de Neurologia (ABN) lançaram a campanha www.naodecaronaaosono.com.br, cujo objetivo é conscientizar motoristas sobre a importância de se ter um sono saudável.

SONOLÊNCIA – O sono é uma das principais condições de saúde que mais motivam acidentes de trânsito nas rodovias brasileiras, segundo levantamento recente da Abramet. Este fator motivou cerca de 22,6 mil acidentes registrados nas rodovias, causando 2.092 mortes e deixando 22.645 feridos, entre 2014 e julho de 2020.

“Observar bons hábitos de sono, tratando possíveis doenças e obtendo sono suficiente antes de qualquer viagem, previne acidentes causados por sonolência”, lembra o diretor científico da Abramet, Flavio Adura. A sonolência excessiva, segundo ele, acarreta redução do tempo de reação, julgamento, visão e dificuldades no processo da informação e memória de curto prazo.

Segundo ele, uma vez que haja sonolência, é muito difícil evitar cair no sono a qualquer momento, então o condutor deve estacionar o carro em um local seguro. ”Feche as janelas do carro, tranque as portas, e deite-se no banco do motorista para dormir por pelo menos 20 a 30 minutos”, recomenda.

Abramet prestigia cerimônia de posse da nova diretoria da AMB

O presidente da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), Antonio Meira Júnior, representou a especialidade, nesta sexta-feira (8), na solenidade virtual de posse do novo comando da Associação Médica Brasileira (AMB). “A AMB tem sido uma parceira fundamental dos médicos do tráfego na luta pelo cumprimento dos objetivos da Medicina do Tráfego, não só no campo associativo ou do conhecimento, mas especialmente no campo político tem se empenhado em mostrar aos legisladores e agentes públicos do executivo a importância epidemiológica das consequências dos eventos indesejados do trânsito, objeto da ação da especialidade.

Na AMB temos encontrado o respaldo indispensável à resolução das demandas do dia a dia e na defesa de uma das especialidades médicas que mais tem crescido no país”, destaca.

Democraticamente eleita, a nova Diretoria assume trazendo  a bandeira do bom exercício da medicina e da boa assistência, almejando  liderar a maior entidade associativa dos médicas do País em momento histórico para a medicina brasileira.

“Estamos certos de que a nova gestão está comprometida com a transparência, a autonomia na relação com o Governo, a qualificação da assistência e, sobretudo, a valorização dos médicos. Por isso, será importante e honroso para a Abramet continuar a  manter ótima relação com a nova Diretoria da AMB”, disse José Montal, Diretor Administrativo da Abramet nacional e Presidente da Abramet-SP.
Novo presidente – O ginecologista César Eduardo Fernandes estará à frente da entidade nacional no triênio 2021-2023. De carreira acadêmica longa e respeitada, graduou-se pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Lá, fez Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia, mestrado e doutorado em Tocoginecologia.
Conheça os membros da nova diretoria da AMB:
Diretoria eleita AMB 2020-2023
Presidente: César Eduardo Fernandes (SP)
1ª Vice-presidente: Luciana Rodrigues Silva (BA)
2º Vice-presidente: Jurandir Marcondes Ribas Filho (PR)
Vice-presidente Norte: Mariane Franco (PA)
Vice-presidente Nordeste: Roque Salvador de Andrade e Silva (BA)
Vice-presidente Centro-Oeste: César Galvão (DF)
Vice-presidente Sudeste: Agnaldo Lopes da Silva Filho (MG)
Vice-presidente Sul: Oscar Dutra (RS)
Secretário-geral: Antônio José Gonçalves (SP)
1ª Secretária: Maria Rita de Souza Mesquita (SP)
1º Tesoureiro: Akira Ishida (SP)
2º Tesoureiro: Lacildes Rovella Júnior (SP)
Diretor de Relações Internacionais: Carlos Vicente Serrano Junior (SP)
Diretor Científico: José Eduardo Lutaif Dolci (SP)
Diretor de Defesa Profissional: José Fernando Macedo (PR)
Diretor de Atendimento ao Associado: Carlos Alberto Gomes dos Santos (ES)
Diretora Cultural: Rachel Guerra de Castro (MG)
Diretor Acadêmico: Clóvis Francisco Constantino (SP)
Diretor de Assuntos Parlamentares: Luciano Gonçalves de Souza Carvalho (DF)
Conselho Fiscal
Titulares
José Carlos Raimundo Brito (BA)
Luiz Carlos João (SP)
Nerlan Tadeu Gonçalves de Carvalho (PR)
Suplentes
Francisco José Rossi (DF)
Juarez Monteiro Molinari (RS)
Márcia Pachiegas Lanzieri (SP)

Veto 52/2020: Com pauta carregada, Congresso Nacional adia apreciação dos vetos ao novo CTB

O Legislativo federal adiou a apreciação dos vetos presidenciais, deixando para a próxima legislatura a decisão em torno do veto 52/2020, que trata de aspectos importantes do Projeto de Lei 3267/2019, cuja aprovação atualizou as normas do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Com isso, a derrubada dos dispositivos nº 8 (artigo 147) e nº 13 (artigo 5), que retiram a prerrogativa do médico do tráfego e do psicólogo do trânsito na realização do Exame de Aptidão Física e Mental (EAFM) e avaliação psicológica, respectivamente, serão discutidas apenas em 2021.

A última sessão do Congresso Nacional em 2020, realizada nesta quarta-feira (16), teve como tema prioritário o Orçamento Geral da União (OGU) para 2021, cuja aprovação tem de acontecer para que seja iniciado o recesso parlamentar.

“Temos acompanhado passo a passo a tramitação desse veto, dialogando com lideranças e parlamentares de todas as bancadas para sensibilizá-los e fazer prevalecer a decisão do Congresso Nacional sobre a importância dos especialistas no processo de concessão de renovação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH)”, afirma o dr. Antônio Meira Junior, presidente da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet).

Como fez semanalmente ao longo os últimos meses, Meira esteve na capital federal também nesta quarta-feira (16) – acompanhado dos presidentes da Federada de Minas, Arilson Carvalho, e do Distrito Federal, Geraldo Guttemberg – para presenciar a última sessão legislativa e avançar nos contatos institucionais com parlamentares. Nesta semana, ele foi recebido em audiência pelo líder do DEM, deputado Efraim Filho (PB); e o vice-líder, deputado Luiz Miranda (DF). Também se reuniu com lideranças de outros partidos, como o do PP e PSD, legendas do chamado Centrão.

“Temos confiança de que a votação acontecerá logo no início dos trabalhos do ano que vem e com desfecho positivo para a medicina do tráfego, a psicologia do trânsito e para os brasileiros. É para isso que estamos trabalhando”, comentou. Na avaliação do dirigente, os parlamentares têm demonstrado sensibilidade e a tendência é que prevaleça o entendimento técnico e científico em torno dos pontos vetados, restabelecendo aspectos importantes para a preservação da vida no trânsito.

Nesta quarta, também em Brasília, o presidente da Abramet participou de evento conjunto da Frente Parlamentar de Medicina, colegiado reúne deputados federais e senadores envolvidos com a agenda da medicina e da saúde no Brasil. Na oportunidade, Meira Junior reiterou a importância do apoio do Parlamento na luta pela saúde no trânsito e, perante o candidato à Presidência da Câmara, deputado Arthur Lira (PP/AL), agradeceu o apoio daquela bancada às causa da medicina.

Esforço contínuo – A tramitação do PL 3267/2019 demandou acompanhamento e atuação institucional contínua da Abramet desde o início da sua tramitação, em 2019. Para isso, a entidade mobilizou não apenas a sua diretoria, como também contou com a atuação parceira de muitas das suas federadas, abrindo diversas frentes de diálogo com o Legislativo federal, partindo inclusive dos Estados.

Também foram criadas plataformas digitais e veiculadas campanhas de mobilização e esclarecimento nas redes sociais para sensibilizar o parlamento e a opinião pública sobre a importância de manter as normas do Código de Trânsito Brasileiro. A Abramet promoveu um grande debate, tornando-se referência para o Congresso Nacional e para a imprensa.

Nesse esforço, a entidade participou de todas as sessões da Comissão Especial que apreciou a proposta na Câmara dos Deputados. Durante meses, a entidade contribuiu com o debate em torno do Código de Trânsito Brasileiro apresentando documentos e estudos científicos, além de dados estatísticos para demonstrar a necessidade de manter o rigor das políticas de trânsito no Brasil.

Retrospectiva – Dirigentes da entidade também visitaram parlamentares e ministros do governo federal para mostrar os riscos da flexibilização das normas – os acidentes de trânsito têm impacto sobre o sistema de saúde, a previdência social e a economia.

Painelista em audiência pública realizada na Câmara, a Abramet defendeu que a avaliação clínica do condutor seja feita por médico especialista em tráfego, com exames específicos para essa finalidade e em prazos mais curtos.

No Senado, após trajetória exitosa na Câmara, a entidade desencadeou novo esforço institucional, levando aos parlamentares esclarecimentos e dados científicos para garantir a aprovação da proposta sem alterações.

Senadoras e senadores acolheram os argumentos e o PL 3267/2019 foi aprovado por aquela Casa sem modificações de mérito, mantendo os aspectos mais importantes do Código de Trânsito Brasileiro.

Apreciado em votação terminativa pela Câmara dos Deputados, o projeto foi enviado à Presidência da República, onde foram vetados importantes trechos da proposta.

Abramet divulga diretriz para a habilitação de condutores dentro do espectro autista

A Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) divulgou nessa quinta-feira (10), uma diretriz sobre a condução veicular para pessoas portadoras do Transtorno do Espectro Autista (TEA). A norma expõe critérios e cuidados, baseados em estudos científicos, a serem observados pelo especialista em Medicina do Tráfego, para que a habilitação atenda o objetivo principal de garantir a segurança do motorista com TEA e de outras pessoas que compartilham as vias.

LEIA A DIRETRIZ AQUI

“Essa diretriz atualiza o conhecimento que temos desse assunto, apropriando os estudos científicos mais recentes sobre esse tema. É uma contribuição importante para o médico do tráfego e a comunidade médica em geral, ressaltando aspectos importantes sobre a habilidade como motorista dessas pessoas”, afirma o dr. Flávio Emir Adura, diretor científico da Abramet. “É importante garantir-lhes o direito de dirigir, sempre obedecendo o necessário cuidado e rigor”.

O TEA, explica a diretriz, é uma condição de saúde caracterizada por déficit na comunicação social e comportamento do indivíduo. “São muitos subtipos do transtorno, tão abrangente que se usa o termo “espectro”, considerando os vários níveis de comprometimento possíveis, desde pessoas com comorbidades, como deficiência intelectual e epilepsia, até pessoas independentes, com vida semelhante a de pessoas sem o TEA”.

A diretriz alerta que, a despeito de muitos portadores terem carteira de motorista e serem capazes de dirigir com segurança, estudos registram que o desenvolvimento das habilidades necessárias é difícil para parte deles. “Estudo recente mostrou que um em cada três adultos jovens com diagnóstico de TEA se habilitou como motorista, e o fez em um cronograma ligeiramente mais demorado (em média 9,2 meses) em comparação com seus pares sem a patologia.

Pesquisa publicada em 2012 no Journal of Developmental & Behavioral Pediatrics concluiu que a frequência de acidentes e multas para as pessoas habilitadas com diagnóstico de TEA era, na verdade, menor do que o encontrado para a população em geral, sugerindo que autistas de alto desempenho não só podem ser motoristas, como conduziriam os veículos com segurança maior que o universo da população geral de condutores.

A Abramet destaca que não há vedação a habilitação de pessoas com TEA no Brasil – elas podem obter suas carteiras após passarem por testes e exames, comprovando reunir as condições para dirigir. A diretriz alerta, entretanto, para alguns distúrbios associados ao espectro e que podem ter impacto direto sobre o ato de dirigir.

A entidade recomenda ao médico do tráfego atenção para eventuais indícios do TEA, cuja declaração é obrigatória pelo candidato à obtenção ou renovação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Considerando que a existência e gravidade dos sintomas é variável, a diretriz emanada pela Abramet recomenda ao especialista solicitar uma avaliação do candidato por neurologista ou psiquiatra, a fim de avaliar suas condições e registrar, em laudo, o diagnóstico da doença.

A diretriz também orienta sobre como o especialista deve atuar diante de candidatos que apresentem condições associadas ao transtorno: “Candidato com TEA, que apresentar uma ou mais das condições seguintes, deverá ser considerado inapto  no exame de aptidão física e mental: déficit intelectual moderado ou grave, disfunções que poderão afetar tanto a tomada de decisões, como o processamento de informações e a atenção e demonstrar dificuldades para lidar com as multitarefas necessárias para a realização de uma direção veicular segura”.

Na ausência de condição prevista no parágrafo anterior, o candidato com TEA poderá ser considerado apto. A avaliação psicológica deverá ser exigida na permissão para dirigir e em todas as renovações da CNH para a aprovação do condutor ou candidato a condutor com TEA.

NOTA DE PESAR | Dr. Edson Takeyochi Tanno

É com pesar que a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) comunica a morte do dr. Edson Takeyochi Tanno, na noite do último domingo (29/11), por complicações da Covid-19. Médico de tráfego e intensivista, ele tinha 63 anos e atuava na cidade de Assis, interior de São Paulo, onde era responsável pelo atendimento aos pacientes graves no Hospital Maternidade de Assis, local em que foi internado ao contrair a doença.

A diretoria da Abramet se solidariza com seus familiares, colegas de trabalho e amigos, desejando-lhes a força necessária para superar tamanha perda. Filiado à entidade desde 1982, Edson Tanno foi exemplo no exercício da medicina.
Fonte: NOTA DE PESAR | Dr. Edson Takeyochi Tanno – ABRAMET

Médicos do Tráfego manifestam solidariedade às famílias e amigos de vítimas da tragédia em Taguaí-SP

Para a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), a tragédia que atingiu dezenas de famílias na rodovia Alfredo de Oliveira Carvalho (SP 249), no interior paulista, nesta quarta-feira (25), sinaliza a importância do fortalecimento urgente de políticas de promoção da saúde e da segurança no trânsito.

“Entre 2014 e julho deste ano, 648 mil acidentes foram registrados nas rodovias federais, 44% deles (283,5 mil) associados à condição de saúde dos motoristas no momento da ocorrência”, pontua a Abramet, em nota divulgada. Para a entidade, em mais de 90% dos acidentes as principais causas estão relacionadas ao fator humano e podem ser prevenidas.

ACESSE E LEIA A ÍNTEGRA DA NOTA DA ABRAMET

Abramet alerta para as novas turmas de residência em Medicina do Tráfego

Focada na qualidade da formação do especialista, a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (ABRAMET) chama atenção para a abertura de novas turmas de residência médica em Medicina do Tráfego, em duas das mais importantes universidades brasileiras. Inscrições foram abertas pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e pela Escola Paulista de Medicina, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Nesta última, o processo seletivo será encerrado em 27 de novembro.

CONFIRA AQUI INFORMAÇÕES SOBRE A SELEÇÃO DA UNIFESP

CONFIRA AQUI INFORMAÇÕES SOBRE A SELEÇÃO DA UNIRIO

“Essa é uma oportunidade imperdível para o médico que deseja atuar em medicina do tráfego. São instituições de renome e credibilidade, que oferecem formação de ponta ao especialista”, afirma o Flávio Emir Adura, diretor científico da Abramet. Segundo ele, a oferta de formação por universidades tem grande relevância e converge para o esforço da entidade, que também prepara médicos do tráfego. “É muito importante que o médico possa aprofundar seus conhecimentos, preparando-se para a medicina do tráfego, que tem muitas peculiaridades”.

“Convido todos os interessados a fazerem a residência médica. É uma oportunidade de aprimorar e conhecer novas áreas relacionadas à medicina do tráfego, como clínica, oftalmologia, neurocirurgia e psiquiatria, além de cirurgia geral”, destaca Áquilla Couto, coordenador da Comissão de Integração do Médico Jovem da Abramet e preceptor da residência médica na Unifesp.

MULTIDISCIPLINAR – “O médico do tráfego, para além da formação em medicina, precisa conhecer e apropriar conhecimento em outras especialidades, que o prepare para avaliar da forma correta todos os aspectos de saúde envolvidos direta e indiretamente com o ato de dirigir”, diz Adura. “O exame de aptidão física envolve uma anamnese diferenciada, que apenas a formação do especialista em medicina do tráfego pode oferecer. Nesse campo, a residência médica é essencial”.

Para tornar mais claras as premissas da qualificação do especialista, o Departamento Científico da Abramet produziu um documento orientativo apresentando as diversas áreas de atuação do médico do tráfego e os requisitos acadêmicos exigidos na sua formação. A expectativa da entidade é contribuir para a correta formação do médico especialista – todo médico do tráfego tem de ter cursado medicina e o ingresso na especialização, por residência médica, só é aceito mediante apresentação do diploma tanto pelas universidades quanto pela entidade.

COMPETÊNCIAS – A especialização em medicina do tráfego dura 2 anos. “Medicina do Tráfego é o ramo da ciência médica que trata da manutenção do bem-estar físico, psíquico e social do ser humano que se desloca, qualquer que seja o meio que propicie a sua mobilidade. Estuda as causas do acidente de tráfego a fim de preveni-lo ou mitigar suas consequências, além de contribuir com subsídios técnicos para a elaboração do ordenamento legal e modificação do comportamento do usuário do sistema de circulação viária”, define a entidade.

A Abramet também esclarece que as principais áreas de atuação do médico especialista são a Medicina do Tráfego Preventiva, Curativa, Legal, Ocupacional, Securitária, Medicina do Viajante, Medicina de Tráfego Aeroespacial, Aquaviário, Ferroviário e Rodoviário. O documento divulgado pela entidade qualifica cada segmento.

CONFIRA AQUI AS PRINCIPAIS COMPETÊNCIAS DO MÉDICO DO TRÁFEGO

Abramet lança portal exclusivo aos associados

Com o objetivo de promover um espaço com conteúdo exclusivo e de fácil navegação, a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) lançou um novo site voltado aos associados. Na plataforma, é possível conferir novidades no campo científico e também ficar por dentro das mais recentes parcerias da entidade e, assim, verificar em quais estabelecimentos ou produtos o associado tem descontos e benefícios exclusivos.

CLIQUE AQUI E CONFIRA O NOVO PORTAL

“Um dos compromissos da nossa gestão tem sido trazer inovações e oportunidades para os médicos do tráfego. Sabemos que a internet é, atualmente, o melhor meio de se conseguir informações atualizadas e, por isso, lançamos esse novo portal, para que o associado possa ter acesso de forma fácil e simples às publicações da Abramet e também que seja um lugar de consulta sobre quais benefícios ele possui estando adimplente com a instituição”, explica o presidente da Abramet, Antonio Meira Júnior.

A plataforma permite ainda, que os médicos que ainda não são sócios se inscrevam de forma descomplicada. “Agora, o especialista que desejar se associar à Abramet, poderá fazê-lo de forma bem rápida. Para isso, basta acessar em inscreva-se e preencher o formulário com os dados solicitados”, diz Meira Júnior.

EXLUSIVIDADE – A instituição possui parceria com diversas empresas e, entre os benefícios oferecidos aos sócios, estão os descontos em cursos de idiomas, seguros diversos, livros da especialidade, locação de veículos, além se serviços e produtos de viagem, vestuário, entre outros. “É importante apenas que o associado fique atento às condições específicas de cada um dos estabelecimentos para que fossa usufruir de maneira adequada dos benefícios”, lembra o presidente.

Outras vantagens incluem ainda a obtenção de descontos em congressos, eventos e cursos de educação à distância (EAD), além do acesso à Revista da Abramet, a aulas exclusivas ministradas por especialistas da Abramet, a artigos científicos, e a consultoria direta às assessorias jurídica e científica da entidade.

Fonte: Abramet lança portal exclusivo aos associados – ABRAMET

Abramet participa do 68° Encontro Nacional dos Detrans e fortalece parceria institucional com Sistema de Trânsito

A Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (ABRAMET) participou da solenidade de abertura do 68º Encontro Nacional dos Departamentos Estaduais de Trânsito (Detrans), realizado nesta quarta-feira (18), em Brasília. Organizado pela Associação Nacional dos Detrans (AND), o evento é um dos principais fóruns de debate do Sistema Nacional de Trânsito e reúne integrantes dos Detrans de todo o Brasil.

“Abordamos a atuação da Abramet como entidade científica e colocamos nossa entidade à disposição dos Detrans para a troca de experiências”, comentou o dr. Antonio Meira Júnior, presidente da Abramet. Segundo ele, que esteve na capital federal especialmente para o encontro, a AND é uma parceira institucional importante, para a troca de informações e a discussão de temas relevantes da agenda de prevenção a acidentes.

“São muitos anos de relacionamento em que nós temos oferecido subsídios técnico-científicos aos Detrans para a tomada de decisões e formulação de políticas públicas muito importantes para o Brasil. Manter e aprofundar essa parceira é essencial no esforço que fazemos pela preservação da vida no trânsito brasileiro”, acrescentou.

Meira aproveitou a ocasião para destacar a importância da medicina do tráfego e pedir o apoio dos dirigentes presentes na mobilização em torno da manutenção da prerrogativa do médico do tráfego na avaliação do candidato a condutor. A Abramet atua para que seja revisto veto presidencial ao tema, no PL 3267, que alterou o Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

A abertura do encontro nacional contou com as participações do diretor-geral do Departamento Nacional de Trânsito (DENATRAN), Frederico de Moura Carneiro; dos presidentes do Fórum Nacional dos Conselhos de Trânsito (FOCOTRAN), Frederico Pierotti, e da Federação Nacional das Autoescolas e Centros de Formação de Condutores (Feneauto), Magnelson Carlos de Souza; do coordenador da Comissão de Assuntos Políticos da Abramet, Arilson de Souza; e do representante da Abramet-DF, Geraldo Guttemberg.

O 68º Encontro Nacional dos Departamentos Estaduais de Trânsito (DETRAN) promoveu debates sobre problemas comuns enfrentados pelos Detrans nos Estados. Representantes de todo o país discutiram soluções e boas práticas sobre documentação, veículos, leilões, adequações na legislação de trânsito e recall; assim como o cenário atual com os índices de acidentes de trânsito por Estados; as inovações tecnológicas e os temas de educação sugeridos para 2021.

Fonte: https://abramet.com.br/noticias/abramet-participa-do-68-encontro-nacional-dos-detrans-e-fortalece-parceria-insitucional-com-sistema-de-transito/

Abramet mobiliza outras entidades e lança manifesto em alerta aos candidatos às Eleições de 2020

O trânsito é um dos principais fatores de morte não natural no Brasil. Além do alto número de óbitos, os acidentes também causam sequelas que retiram a saúde e a qualidade de vida de milhares de pessoas todos os anos no país. Atentas à necessidade de fortalecer os esforços para a educação no trânsito e a prevenção de acidentes, representações de médicos, psicólogos, engenheiros, condutores de veículos, pedestres, além de associação de assistência à criança deficiente e organizações em prol da valorização da vida lançaram nessa terça-feira (10) um manifesto dirigido aos candidatos às eleições de 2020 – prefeitos e parlamentares – propondo um compromisso público pela vida no trânsito.

O documento, proposto pela Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (ABRAMET), reúne a chancela de outras 28 instituições de credibilidade reconhecida e importante atuação no cuidado à saúde da população: Associação Médica Brasileira (AMB), Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD), Associação Brasileira de Psicologia de Tráfego (ABRAPSIT), Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (ABRACICLO), Associação Brasileira dos Condutores de Ambulância (ABRAMCA) e Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA).

Também compõe o rol de signatárias a Associação Brasileira de Pedestres (ABRASPE), Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores (ABRAVA), Associação Brasileira de Transporte e Logística de Produtos Perigosos (ABTLP), Associação Nacional de Detrans (AND), Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (ANFAVEA), Academia Nacional de Seguros e Previdência (ANSP), Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP), ONG Criança Segura, Federação Nacional dos Médicos (FENAM), Fórum Nacional dos Conselhos de Trânsito (FOCOTRAN), Fundação Thiago de Moraes Gonzaga, Instituto de Engenharia, Instituto de Tecnologia para o Trânsito Seguro (ITTS), Movimento Não Foi Acidente e Associação de Parentes, Amigos e Vítimas de Trânsito (Trânsito Amigo).

Aderiram ainda ao documento a Associação Paulista de Medicina (APM), Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado (SBAIT),  Confederação Nacional dos Usuários de Transportes Coletivos de Passageiros Rodoviários, Ferroviários, Hidroviários, Metroviários e Aéreos do Brasil (CNU), Hora H Pesquisa Engenharia & Marketing Ltda,  S. EJZENBERG Engenharia & Consultoria, Sindicato das Auto Moto Escolas e Centros de Formação de Condutores no Estado de São Paulo (SindautoescolaSP) e Sindicato dos Mensageiros Motociclistas, Ciclistas e MotoTaxistas do Estado de São Paulo (SindimotoSP).

LEIA O MANIFESTO AQUI

“Toda eleição é uma oportunidade de pensarmos o país que desejamos e estabelecer uma agenda com os temas que merecem atenção e prioridade tanto de gestores quanto de parlamentares nos diversos níveis da federação. Alertar e mobilizar prefeitos e vereadores é essencial para construir avanços e melhorar a vida nas cidades brasileiras”, justifica o dr. Antonio Meira Junior, presidente da Abramet. “A preservação da vida é um tema que interessa a todos nós, um objetivo que deve unir toda a sociedade”, acrescenta.

A redução dos indicadores de acidentes com vítimas fatais é uma das prioridades na atuação da Abramet, entidade que representa mais de oito mil médicos do tráfego no Brasil. No manifesto, a Abramet propõe aos candidatos que assumam o compromisso de zelar pela vida da população nas vias e rodovias do país.

Plataforma de ação – Apontado com um dos mais violentos do mundo, o trânsito brasileiro compõe um quadro permanente de epidemia, com mortes diárias e alto custo para o sistema de saúde público e privado, conforme mostram alguns números. Para esclarecer os candidatos, o documento informa, entre outros dados, que:

  • De 2009 a 2019, estatísticas do Ministério da Saúde registram 1.636.878 vítimas de acidentes de tráfego com ferimentos graves. Em 2017, 35,3 mil pessoas morreram em decorrência de acidentes de transporte terrestre;
  • Internações e outros procedimentos médicos realizados com vítimas de acidentes nos serviços da rede pública de saúde custaram cerca de R$ 3 bilhões na última década.

A entidade destaca que o Brasil não cumpriu a meta estabelecida pelas Nações Unidas para a Primeira Década de Ação pela Segurança no Trânsito, que previa a redução em 50% do número de mortes no trânsito em todo o mundo. E frisa a importância da atuação dos prefeitos e vereadores para a formulação e execução efetiva de políticas públicas eficazes para a promoção da saúde da população e redução dos acidentes nas vias brasileiras.

A Abramet propõe aos candidatos medidas que devem ser apropriadas em seus programas de governo e plataforma de gestão, se eleitos, como: o apoio a políticas públicas de combate a acidentes; a melhoria dos mecanismos de acompanhamento e avaliação dos acidentes de trânsito; a destinação de recursos para ações de educação no trânsito e prevenção a acidentes; a adoção de mecanismos robustos de fiscalização e um maior diálogo coma sociedade.

“Precisamos apostar na conscientização da sociedade e a participação de prefeitos e vereadores é fundamental pra que possamos produzir avanços”, diz o presidente da Abramet. Segundo ele, é preciso entendimento e vontade política nos municípios para que os esforços pela preservação da vida no trânsito tenham efetividade.