Abramet congela anuidade para 2020

A Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet) anunciou neste mês a decisão da atual gestão da entidade de não alterar o valor da anuidade para 2020. A iniciativa, divulgada em carta oficial enviada a todos os sócios da Abramet, considerou o momento pelo qual passa o País e reforça o compromisso da nova diretoria de atuar em defesa da profissão, sobretudo dos associados.

Além da manutenção de valores, a Abramet ressalta a importância do apoio de toda a categoria para avançar nos projetos capitaneados pela Associação, que tem como propósito aprimorar as estratégias de segurança no trânsito e promover a saúde e o bem-estar da população brasileira. “Com uma atuação ágil, moderna e eficiente, buscaremos sempre entender e atender nossos associados. Os médicos de tráfego do Brasil podem estar certos de que, unidos, somos muito mais fortes!”, destacou o presidente da Abramet, Antonio Meira Júnor.

Para efetuar a quitação da anuidade e usufruir de todos os serviços e benefícios oferecidos pela entidade, os associados podem optar pelo pagamento por meio de boleto bancário – em cota única – ou de cartão de crédito, com a possibilidade de parcelamento em até 12 vezes. Para mais informações, basta entrar em contato com a secretaria da entidade através do e-mail abramet@abramet.org.br.

Defesa da vida – Dentre as metas já definidas pela atual direção para os próximos meses está o reforço na atuação em torno do projeto de lei que modifica o Código Brasileiro de Trânsito (CBT). Para o presidente da entidade, nesse contexto, a Abramet desempenha papel fundamental em função de sua relevância científica e prerrogativa para fornecer subsídios técnicos para a elaboração da legislação de trânsito e políticas públicas na área.

“A partir de fevereiro, com a volta das atividades no Congresso Nacional, retomaremos o esforço institucional que a Abramet tem feito para influenciar o debate em torno das mudanças no CBT. Por isso, convidamos todos os médicos do tráfego do País a estarem junto conosco, encampando essa frente de atuação, para evitar a aprovação de retrocessos que podem impactar a saúde de motoristas, passageiros e pedestres”, declarou Meira Júnior.

Base em evidências – Segundo ele, no último ano, diretores da Abramet entregaram pessoalmente ao Ministro da Economia, Paulo Guedes, dados que indicam o impacto negativo, do ponto de vista financeiro, que acidentes de trânsito geram para o Brasil. “Esse é um exemplo de tarefa desempenhada pela nossa especialidade, que através de evidências sólidas pode abrir caminho para um diálogo construtivo e mudanças técnicas”, salientou.

As demais metas expressas na carta divulgada aos associados apontam ainda para o compromisso da gestão com elaboração de novas diretrizes médicas e atualização de protocolos para a medicina de tráfego, com base nas mais atuais discussões do campo científico; e a valorização da especialidade, em busca de remuneração adequada e de reconhecimento da função estratégica do médico do tráfego para a segurança da população.