Acidente de trânsito passa a integrar lista de doenças de notificação compulsória

De acordo com a publicação no Diário Oficial do Estado da Bahia na sexta-feira (10), a Bahia incluiu os acidentes de trânsito na lista de doenças de notificação compulsória. Desde a referida data, médicos (as) lotados (as) em municípios baianos devem atentar para o devido preenchimento de documentos, tendo em vista a obrigatoriedade de especificação quando o caso for decorrente de acidentes no trânsito. A medida é fruto também do constante pleito realizado pela Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet), entidade engajada historicamente na luta por esse feito.

Para o presidente da Abramet-BA, Dr. Antônio Meira Júnior, a conquista será fundamental para avançar nas estratégias de prevenção e tratamento dos eventos de trânsito. “Não é possível combater um inimigo que não se conhece. A não identificação dos acidentes de trânsito como doença de notificação compulsória dificulta a tomada de decisões nos planejamentos em saúde”, explica Dr. Meira Júnior.

O médico do tráfego acredita ainda que não haverá dificuldade na implementação do decreto nas unidades de saúde, visto que o Código Internacional de Doenças (CID) já permitia isso, apesar da pouca utilização. “No preenchimento dos documentos médicos, o CID: V23.4 especifica, por exemplo, motociclista traumatizado em colisão com um automóvel (carro), pick up ou caminhonete, mas, às vezes, o registro era feito com outro código”, pontua.

Já para a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), a conquista “busca aperfeiçoar as estatísticas do setor e avançar no mapeamento das localidades e zonas de maior incidência”. Ainda de acordo com a pasta, apenas na Bahia, entre os anos de 2000 e 2017, foram registradas 34.534 mortes em acidentes de trânsito, o equivalente à população de cidades baianas como Cachoeira ou Riachão do Jacuípe. Deste total, 6.695 pessoas estavam dirigindo motos, enquanto 12.080 eram ocupantes de carros.

Os números da secretaria apontam ainda que, apenas nos seis primeiros meses de 2015, o Hospital Geral do Estado (HGE), na capital, bem como o Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA), em Feira de Santana, Hospital Geral de Camaçari (HGC) e o Hospital Geral de Guanambi (HGC) registraram 3.571 acidentes envolvendo motociclistas, o que dá uma média de quase 20 entradas na emergência por dia.

Fonte: http://www.cremeb.org.br/index.php/noticias/acidente-de-transito-passa-a-integrar-lista-de-doencas-de-notificacao-compulsoria/