CREMEB e ABRAMET se Propõem a Somar Esforços por Mais Saúde no Trânsito

A Abramet, representada por sua Diretoria nacional e local, Drs. José Montal e Antonio Meira, esteve em visita ao Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia – Cremeb e deu notícia à sua Presidente, a Dra. Tereza Maltez, do evento que promoverá em Costa do Sauípe de 14 a 17 de Setembro próximos.

O  XII Congresso Brasileiro de Medicina de Tráfego, a exemplo da especialidade, tem o propósito de disponibilizar para os congressistas e para a sociedade estudos, análises e debates sobre o tema mobilidade humana, de modo a promover mais saúde e colocar os conteúdos da medicina à disposição das políticas de trânsito. Trazer o homem de volta ao centro das discussões sobre mobilidade é a proposta da Abramet.

Membro ilustre da história da Abramet e do CREMEB, o Conselheiro Dr. Jorge Cerqueira ajudou a viabilizar o encontro e contribuiu com sua lucidez para estabelecer alguns dos temas de interesse das duas entidades e que serão desenvolvidos doravante.

Esta edição do Congresso será a primeira a não contar com a palavra acidente na sua denominação. O entendimento consolidado de que os chamados acidentes não são acidentais, pois têm causas bem definidas pela ciência, coloca o médico, especialmente o médico de tráfego, na obrigação de participar de ações que coloquem mais saúde na pauta das políticas de trânsito.

Diretrizes Médicas elaboradas pela Abramet e referendadas pela AMB/CFM geraram normas legais paradigmáticas. O transporte seguro de crianças e a demonstração da não existência de dose de bebida alcoólica que possa ser considerada segura para dirigir foram cientificamente evidenciadas nas Diretrizes citadas. Transformadas em exigência legal com a implementação da Resolução das Cadeirinhas e da Lei Seca,  resultaram em importante redução da morbimortalidade no trânsito.

O exercício da medicina, ele próprio, coloca o médico como vítima potencial destes eventos. Jornadas extenuantes de trabalho, com estresse físico, mental e privação do sono, fazem do médico um dos profissionais mais vulneráveis ao acidente de trânsito. Países desenvolvidos contam com legislação que regula e protege o plantonista da área da saúde. Recentes notícias colocam médicos baianos entre estas vítimas, o que, como bem diz o Dr. Cerqueira, torna obrigatório prosseguir no estudo e divulgação do tema.

Dada a importância epidemiológica do acidente, CREMEB e ABRAMET se propõem a somar esforços visando a melhorar a percepção da importância desse agravo à saúde.

O intuito é fazer constar nas Declarações de Óbito e em outros documentos médicos que registrem a natureza das patologias, o código relativo aos acidentes de trânsito como causa contributiva para o evento anunciado. A X Classificação Internacional de Doenças visa padronizar a codificação de doenças e outros problemas relacionados à saúde. Conhecido como CID-10, nele as ocorrências relativas aos acidentes de trânsito estão englobados na letra V. Exemplo: V23 – Motociclista Traumatizado em Colisão Com um Automóvel (carro), pick Up ou Caminhonete

Com esta ação estaríamos evitando que os infortúnios da mobilidade fossem inseridos no rol das doenças negligenciadas. Na medicina, como no trânsito, é preciso estar com a atenção permanentemente voltada para a administração dos riscos, no intuito de evitá-los ou mitigar suas consequências.