Abramet alerta para as novas turmas de residência em Medicina do Tráfego

Focada na qualidade da formação do especialista, a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (ABRAMET) chama atenção para a abertura de novas turmas de residência médica em Medicina do Tráfego, em duas das mais importantes universidades brasileiras. Inscrições foram abertas pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e pela Escola Paulista de Medicina, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Nesta última, o processo seletivo será encerrado em 27 de novembro.

CONFIRA AQUI INFORMAÇÕES SOBRE A SELEÇÃO DA UNIFESP

CONFIRA AQUI INFORMAÇÕES SOBRE A SELEÇÃO DA UNIRIO

“Essa é uma oportunidade imperdível para o médico que deseja atuar em medicina do tráfego. São instituições de renome e credibilidade, que oferecem formação de ponta ao especialista”, afirma o Flávio Emir Adura, diretor científico da Abramet. Segundo ele, a oferta de formação por universidades tem grande relevância e converge para o esforço da entidade, que também prepara médicos do tráfego. “É muito importante que o médico possa aprofundar seus conhecimentos, preparando-se para a medicina do tráfego, que tem muitas peculiaridades”.

“Convido todos os interessados a fazerem a residência médica. É uma oportunidade de aprimorar e conhecer novas áreas relacionadas à medicina do tráfego, como clínica, oftalmologia, neurocirurgia e psiquiatria, além de cirurgia geral”, destaca Áquilla Couto, coordenador da Comissão de Integração do Médico Jovem da Abramet e preceptor da residência médica na Unifesp.

MULTIDISCIPLINAR – “O médico do tráfego, para além da formação em medicina, precisa conhecer e apropriar conhecimento em outras especialidades, que o prepare para avaliar da forma correta todos os aspectos de saúde envolvidos direta e indiretamente com o ato de dirigir”, diz Adura. “O exame de aptidão física envolve uma anamnese diferenciada, que apenas a formação do especialista em medicina do tráfego pode oferecer. Nesse campo, a residência médica é essencial”.

Para tornar mais claras as premissas da qualificação do especialista, o Departamento Científico da Abramet produziu um documento orientativo apresentando as diversas áreas de atuação do médico do tráfego e os requisitos acadêmicos exigidos na sua formação. A expectativa da entidade é contribuir para a correta formação do médico especialista – todo médico do tráfego tem de ter cursado medicina e o ingresso na especialização, por residência médica, só é aceito mediante apresentação do diploma tanto pelas universidades quanto pela entidade.

COMPETÊNCIAS – A especialização em medicina do tráfego dura 2 anos. “Medicina do Tráfego é o ramo da ciência médica que trata da manutenção do bem-estar físico, psíquico e social do ser humano que se desloca, qualquer que seja o meio que propicie a sua mobilidade. Estuda as causas do acidente de tráfego a fim de preveni-lo ou mitigar suas consequências, além de contribuir com subsídios técnicos para a elaboração do ordenamento legal e modificação do comportamento do usuário do sistema de circulação viária”, define a entidade.

A Abramet também esclarece que as principais áreas de atuação do médico especialista são a Medicina do Tráfego Preventiva, Curativa, Legal, Ocupacional, Securitária, Medicina do Viajante, Medicina de Tráfego Aeroespacial, Aquaviário, Ferroviário e Rodoviário. O documento divulgado pela entidade qualifica cada segmento.

CONFIRA AQUI AS PRINCIPAIS COMPETÊNCIAS DO MÉDICO DO TRÁFEGO