Essencial na prevenção a sinistros de trânsito, cinto de segurança deve ser usado por gestantes

O uso de equipamentos de segurança é essencial para a prevenção de sinistros de trânsito. Em ação continuada de alerta e conscientização da população, a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) destaca a importância do uso do cinto de segurança por condutores e passageiros para a redução dos efeitos mais graves dos sinistros, como óbitos e sequelas. A adoção desse cuidado, aponta a entidade, é ainda mais importante para mulheres gestantes.

Análise da entidade mostra que o uso do cinto de segurança é efetivo na redução da mortalidade e da gravidade de sequelas e lesões causadas em decorrência de sinistros envolvendo veículos automotores. Segundo o diretor científico da Abramet, Flávio Emir Adura, muitas mulheres grávidas abrem mão do cinto de segurança por desconhecerem a forma correta de usá-lo, temem que o dispositivo prejudique o feto ou sentem desconforto ao usá-lo.

Segundo ele, “é importante disseminar a forma correta de usar o cinto de segurança durante a gestação – como ajustá-lo ao corpo para proteger a gestante e o bebê – e estimular as mulheres gestantes a adotarem o equipamento”.

Nesse campo, a atuação dos profissionais da saúde e dos médicos do tráfego têm grande importância, na orientação desse público. “A gestante, quando condutora de veículo automotor, e mesmo na condição de ocupante não condutora do veículo, deverá ser alertada sobre os riscos de lesões traumáticas inerentes ao deslocamento dos veículos e orientadas sobre a maneira de proteger a si própria e ao concepto que abriga em seu útero”, diz o especialista.