Na abertura do XIV Congresso, Abramet reforça compromisso com os especialistas e com a defesa pela preservação da vida no trânsito

Uma noite de consagração para a medicina do tráfego e renovação do compromisso com a atualização e capacitação continuada do especialista, para um atendimento de excelência à população e a preservação da vida na mobilidade humana. Estas foram as tônicas da cerimônia de abertura do XIV Congresso Brasileiro de Medicina do Tráfego e do III Congresso Brasileiro de Psicologia do Tráfego na noite da quinta-feira (16), na cidade do Rio de Janeiro. Prestigiado por autoridades federais e estaduais, representantes de entidades médicas e instituições do Sistema Nacional de Trânsito, médicos e psicólogos de todas as regiões do Brasil, o evento coroou os esforços da Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet) na defesa institucional da especialidade, no apoio e prestação de serviços ao médico especialista.

“É com honra e grande satisfação que iniciamos o XIV Congresso Brasileiro de Medicina do Tráfego. Para a Abramet, sua realização marca um conjunto de vitórias que temos conquistado neste que tem sido um dos períodos mais desafiadores da história recente, no mundo e no Brasil”, afirmou Antonio Meira Júnior, presidente da Abramet. “No momento em que a imunização da população avança, realizar o nosso Congresso traduz nossa confiança no futuro e renova o compromisso da Abramet com uma medicina do tráfego que constrói avanços e prepara seus especialistas para seguir cumprindo a missão de preservar vidas”, destacou.

O XIV Congresso foi realizado em formato misto, presencial e online, e recebeu cerca de 1.200 participantes inscritos. Sediado no Centro de Convenções do hotel Windsor Plaza, na Barra da Tijuca, o evento acontece de 16 a 18 de setembro. “Em plena pandemia, em um momento cheio de incertezas e enfrentando uma situação desconhecida, estamos reunidos aqui para celebrar vitórias. Enfrentamos riscos e desafios sem precedentes, foi um trabalho hercúleo, uma luta em prol da especialidade e da missão de preservar vidas no trânsito. Estamos aqui para nos aprimorar, trocar ideias e experiências e levar o que temos de melhor para todo o País”, afirmou Ricardo Irajá Hegele, primeiro vice-presidente da Abramet e coordenador técnico do XIV Congresso.

As boas-vindas aos participantes destacaram a importância da atualização profissional do médico do tráfego brasileiro, uma das prioridades na atuação da Abramet. “Hoje celebramos a parceria que temos na área de trânsito, em benefício de toda a sociedade. Trouxemos palestrantes internacionais para aprendermos mais um pouco”, comentou Egas Caparelli, presidente de honra do XIV Congresso.

Foco no especialista – Durante a abertura do evento, o presidente da Abramet fez um breve relato do esforço empreendido para impedir retrocessos na revisão do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), cuja nova redação entrou em vigor em abril de 2021. Sem alteração, a proposta original poderia ter esvaziado a medicina do tráfego. “Não temos dúvidas de que 2020 e 2021 foram os anos mais desafiadores para a Abramet desde a sua criação, há 41 anos. A revisão do CTB pelo Congresso Nacional embutiu medidas que, se aprovadas, poderiam extinguir a principal área de atuação da medicina do tráfego”, comentou Meira Junior.

“Nesse cenário de tão alto risco, e a despeito de todos os impedimentos impostos pela pandemia, arriscamos nossas vidas e fizemos de Brasília um espaço de luta e convencimento em defesa da importância do médico especialista para a prevenção de sinistros de trânsito e a preservação da vida de quem se desloca”, acrescentou. Segundo ele, foram cerca de dois anos de trabalho dedicado à defesa da medicina do tráfego de qualidade, cujo resultado ressalta a importância de o médico especialista fazer parte de uma entidade respeitada, produtiva e focada no engrandecimento da medicina do tráfego.

O novo Código de Trânsito fixou como prerrogativa do médico e do psicólogo do tráfego a aplicação do Exame de Aptidão Física e Mental (EAFM) para a concessão e renovação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), tornando a medicina do tráfego a primeira especialidade médica a figurar em lei federal. O EAFM é um mecanismo essencial para a prevenção de doenças e sinistros de trânsito no país.

Meira ressaltou que a entidade não se afastou de suas demais missões e construiu avanços para a capacitação dos médicos especialistas, com a publicação de novas diretrizes que abordam temas de grande relevância e incidência no dia a dia do especialista.

“Nossa diretoria tem atuado de modo incansável para cumprir os compromissos da nossa gestão. Quando assumi a presidência da Abramet, elegemos como missão trabalhar pela valorização do médico do tráfego, pelo estímulo ao reconhecimento da sua competência e dedicação pela sociedade; oferecer e estimular a qualificação e capacitação continuada aos nossos especialistas, com vistas a manter uma medicina do tráfego de excelência”, disse o dirigente.

Reconduzido para mais um mandato à frente da entidade, Meira agradeceu aos integrantes da diretoria, à equipe de assessores e funcionários pela dedicação e compromisso. E sinalizou uma nova gestão de continuidade, com a busca permanente por novas contribuições ao médico do tráfego, à especialidade e à sociedade como um todo.

“Prevenir sinistros de tráfego, salvar vidas, diminuir as consequências das tragédias no trânsito, possibilitar que pessoas com deficiência possam conduzir com segurança, apoiar o médico do tráfego. essas são missões da Abramet e não nos afastaremos delas. Esperamos contar com cada um de vocês, médicos do tráfego, para buscar e cumprir nosso nobre objetivo. A participação de vocês em nossa entidade é cada vez mais necessária, para dar visibilidade e força a essa mensagem em defesa da vida.”